Acabou de me ocorrer.

404

 

No meio da bagunça de dias a mofar, acho que em fim apareceu uma oportunidade pra sair… Estava eu a falar com meus botões e imaginando como seria voltar a São Paulo, hoje o que mais me preocupa são os gastos – porque inventaram ‘a porra’ do dinheiro. Penso que aposentadoria deveria ser destinada a jovens, pois ficamos idosos e não temos condições físicas de viajar, condições de ir e vir… Se eu tivesse grana como tenho ambições, eu seria mais que bem sucedido. E ao mesmo tempo em que tenho uma visão de dinheiro muito rala, necessito tanto dele – como se fosse só eu que necessitasse.

Minha pretensão é ir ate BH (mês) mês que vem mais iii depois.

Bom, depois quero ir pra Sampa, se eu fosse idoso, poderia ir sem ter que gastar nada! [só que ninguém iria me querer, afinal quero ir curtir, ver as luzes se acender como já dizia Ana C. o engraçado de tudo é que não adianta “juntar” dinheiro, ele sempre inventa de acabar. Há algum tempo atrás eu criei uma campanha “quero dinheiro para parar de trabalhar” parei de trabalhar, é parei essa semana. Mais o dinheiro não dá:S.

Quando se é pequeno, menino – Travesso… Não pensamos muito no que vai acontecer no amanha, no que teremos que comer.

Quando se é adulto não paramos de pensar no amanha e no que iremos comer. É essa minha preocupação, quando eu voltar de BH, terei que voltar a trabalhar pra poder juntar dinheiro para parar de trabalhar. Já prometi a mim mesmo que vou parar. Parar de ser um menino avançado para minha época, voltar a ser um menino normal. Uma vez um Dalai-Lama disse: o homem trabalha, ajunta dinheiro, fica doente… O homem quando esta doente tem que parar de trabalhar pra gastar seu dinheiro com a doença. [deus me livre desse mal]

Ser adulto é mais complicado do que eu imaginava quando eu era pequeno. Quanto mais eu ando mais longe quero ir, tenho medo de onde meus pés podem me levar – o vida cigana.

F.Silva

Sobre o Direito de Viver e Morrer.

1111111111111111

 

Esses dias ando meio nostalgico, então comecei a compor um texto de retalhos como segue…

Retalhos como ser retalhado, como viver em pedaços de pequenas tiras…

Uma vez vi em um filme a seguinte carta sendo escrita [Practical Magic]

Ela diz: "…Às vezes sinto que há um buraco dentro de mim…
Um vazio que às vezes parece queimar.
Acho que, se pusesse meu coração no ouvido, ouviria o oceano.
E a lua hoje…
Tem um círculo ao redor. Sinal de confusão em breve.
Sonho em ser inteira.
Em não ir dormir toda noite desejando.
Mas, quando o vento está quente e os grilos cantam…
Sonho com um amor que faça o tempo parar.
Só quero que alguém me ame.
Quero ser vista…
Não sei!
Talvez já tenha sido feliz.mas não há nenhum homem…
Só aquela lua."

Senti-me no papel da protagonista, quando espera pelo amor que decide nunca vir – pra prolongar nossa angustia. Uma vez vasculhando velhos papeis, me deparei com um retalho de um escrito de Clarisse Lispector [que não tenho nenhum interesse, portanto não sei como foi parar onde estava. mais coube perfeitamente aqui.]

Ela diz: fora das vezes em que quase morri para sempre, quantas vezes num silêncio humano – que é o mais grave de todos do reino animal -, quantas vezes num silêncio humano minha alma agonizando esperava por uma morte que não vinha. E como escárnio, por ser o contrário do martírio em que minha alma sangrava, era quando o corpo mais florescia. como se meu corpo precisasse dar ao mundo uma prova contrária de minha morte interna para esta ser mais secreta ainda. Morri de muitas mortes e mantê-las-ei em segredo até que a morte do meu corpo venha, e alguém, adivinhando, diga: esta, esta viveu.

Antes de terminar de compor esse texto, minha mãe me ligou e me informou que meu Tioi-Pai faleceu… eu nessa hora não quero ser minha prima-irmã…. afinal, será ela que ira ficar “a dor de quem fica é maior que a dor de quem parte” sozinha e tudo o que ela terá é a completude do vazio. Agora ela se tornou algo como eu, uma pessoa com mãe, uma pessoa sem pai – eu não queria que fosse assim, ela talves esta sentindo o que eu senti aos sete anos, sozinha e com frio. Será que posso dizer que estamos empatados? Que no jogo da vida eu não seja o que perde.

Se um dia você, tiver a oportunidade de ler isso, quero que saiba que o que me deixa mais triste é o fato de não poder te dizer tudo o que sempre tive vontade de dizer…

Obrigado por ser meu pai quando o meu pai não estava lá. Obrigado por ser meu pai quando o pai Eduardo tinha que ir trabalhar. Obrigado por afagar minha cabeça, por me dar doces e dizer que tudo deve ser visto como uma viagem e que um dia eu ia ficar bem e nao tiria ninguem que podesse judiar de mim, obrigado por dizer que um dia eu seria livre, que eu podeia ir embora e voltar quando quizesse, afinal se voltarmos será apenas pra dizer que estamos bem [e se não voltarmos, nada esta bem.]

Adeus Tio, que você possa nascer entre nos, pra que tudo fique bem de novoOgAAAMIt9L3MoPBVGJAldKRrkWVBAc1u6sh1XIsGrK-seXZTU_sI8WqdCKu-6oUuFRZ5kVcwUiKPgNJhTp5z5k4jWq0Am1T1UGUs8Nc2pzHPTTlzyH8zHTD42Q08 .

Fico aqui.

F.Silva

1 feriado de Junho.

Hoje foi um dia interessante ‘mais que feriado não é interessante’ tive visita da mamãe com direito a fotos e encontros surpresa no mercado publico. Alem de falarmos do passado (sic) da época que eu era molequinho e travesso. fizemos comida juntos e por fim depois de muito fiz minha mãe sorrir pras câmeras. Mais não vim falar sobre isso pois acho essa coisa básica pra qualquer família [a meu irmão estava junto o tempo todo – pra depois ele não mencionar que ele não estava aqui no meu BLUG super famoso de menos de 20 postagens rsrs]. No meio da noite por volta das 21h um amigo me chamou pra jantar, e antes de vermos o lugar luxuoso que íamos – isso mesmo a condição monetária só permitiu ir no pitbull rsrsrs. Paramos em um lanchinho e por La ficamos, não meia hora mais 3 horas a fio batendo cabeça sobre como é engraçado algumas “Coisas da Vida”. Entre uma coca cola e outra, discutimos sobre morte e vida, condições socioeconômicas da cidade, viagens planejadas, caminhadas… então resolvi acender um cigarrinho pra acompanhar o papo cabeça, quanto começamos a falar de Rubem Alves – isso mesmo o Teólogo, sobre a forma que ele fala da transmissão de sentimento pelo olhar.

Quando estamos tristes não precisamos falar que dentro de nós á tristeza, nossas expressões e olhares demonstram isso. Quando estamos assustados nossos olhos falam, quando não gostamos de alguém já sentimos quando olhamos pra ela, detalhe; nunca vimos a pessoa na vida ou trocamos palavras com ela, apenas não gostamos dela.

Outra coisa interessante é a forma que nos transmitimos sentimentos através de palavras. Ex: dois amigos conversando olham um rapaz andando na rua um diz: não gosto daquele rapaz. Imediatamente o seu companheiro se enche do mesmo sentimento de não gostar. Ai quando ver o rapaz em algum lugar fala: não gosto daquele rapaz…

Quando falamos sobre perdas de familiares, chegamos a uma conclusão – se é pra perder um parente, e essa tem que ser uma escolha é lógico que escolhemos um de longe, o certo é não perder, mais se é pra perder que não seja um que esteja no nosso convívio.

de pois de algumas horas de papo gostoso lembramos que tínhamos que ir dormir [não juntos lógico], os bocejos começaram a vir e era hora de dizer adeus, mais foi tão bom né, conversar sobre todas essas coisas, então transmitimos sentimentos através do olhar…

De todos os seres que o mundo concebeu o ser humano é o mais estranho.

Agora sentado aqui na frente do not-not fico pensando ‘será que o sentimento de perda ou as transmissões de sentimento, após algum tempo cessão porque não conseguimos viver com tantos sentimentos ou porque não temos sentimentos originais – como se fosse um perfume contra tipo? Será que esse invólucro que chamamos de corpo é a única coisa que nos torna iguais? Será que todas essas linhas não passam de pensamentos esdrúxulos de um mulato…

Nesses dias no qual esta chegando meu grande dia, me deparei com essa frase: This is the unique path of the bodhisattva—sacrificing the sacrificer

F.P.Silva

mae1

Essa na foto é minha Mamacita…

[Eu havia escrito essa postagem a alguns dias, so agora que pude postar.]