Eu não sou eu, sem sou outro.. sou qualquer coisa de intermedio…

Pilar da ponte de tédio que vai de mim para o outro.

Me preparo pra abandonar o velho e abraçar o novo. Faltam poucos dia para o meu grande dia, afinal só se morre algumas vezes na vida e como todo gato que se preze tenho 7 alias 9 vidas e irei perder uma pra arte.

A Arte de perder uma vida pra si mesmo é muito complicado, terei que abraçar minha vida comum e deixar minha antiga vida de lado, irei deixar de ser varias e me tornar eu mesmo, ficara pra trás todos os Daniel’s, Caio’s, Heitor’s, Pedro’s… ficara pra trás todos os homens que fui, todas as mascaras que usei, todos os amigos e inimigos que fiz como homens e mascaras que criei pra minha satisfação. Serei eu, só eu… Serei o pai da minha nova geração, serie o “Young King of me”, talvez o ultimo da minha espécie o Khepron de uma longa linha de Ishiaros  descendentes de Eduarda minha tataravó. Queria que cada um dos homens e mulheres da minha família “não esquecem sua importância pro mundo e sua capacidade de mudar o destinos dos outros e realizar desejos, sou o ultimo.”

Me sinto como na historia original de Édipo que ao fim de sua busca não havia encontrado nada, apenas a esfinge com seu rosto de mulher e corpo de leão. Penso as vezes que estou cavando um buraco e não sei como sair. As vezes ate penso que os Poderosos me abandonam… estou saindo dessa cidade (porto velho) e eu vou eu, mais não sei se irei voltar eu.

A algum tempo atrás fiz um amigo. E na noite anterior ao dia de hoje ele falou “irei te adicionar no Orkut, espero que você não me exclua como sempre” pra que trazer  passado pro hoje? Devemos deixar o passado no passado? Seguir em frente, devemos ser como maquinas de fazer sexo, tem filho, trabalham adoecem… e só? o Buda [um dos grandes avatares que existiu, assim como o Jesus, o Krishina, Maome..] alem de pregar o amor universal ensinou o Doar – me doei… o Dalai Lama disse: – O Homem trabalha, ajunta dinheiro, adoece, e gasta o dinheiro que ajuntou pra gastar com sua doença… – Que vida. !!!

Cansei. Serei eu, e não tomarei a responsabilidade de muitos que vieram antes de mim. Serei eu Francisco Silva.

Não quero me apaixonar nunca e deixar que todos me amem, e sofram… só assim eles serão como eu ao menos uma vez, uma única vez… ganhei um belo nome quando nasci, minha mãe queria que eu me casasse e fosse como um menino qualquer, normal digamos, não um cigano – Gitano, Cirano… Não sou um qualquer, um Comum, um Normal, me sinto feliz por isso, consigo fazer coisas que os meninos normais não fazem, consigo ser mais, superior as vezes… mais uma Coisa que não DEIXO é A ETICA  e  RESPEITO que Aprendi com os OUTROS (Meus meninos, meninas, pais, mães, amantes que encontrei na rua.) porque não tive em CASA.

F.Silva

One Response to Eu não sou eu, sem sou outro.. sou qualquer coisa de intermedio…

  1. Leo Dovalho diz:

    Carpe Nocten!
    Viva a Via da verdadeira aprovação!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: